banner
Games

Quem precisa de narrative designer?

Por André Cappelasso

Ao buscar por trabalho como escritor para jogos, também conhecido como Narrative Designer, deparei-me com o curioso fato de que tais vagas são raras no mercado. Existe demanda por programadores, artistas 2D e 3D, contudo para profissionais do texto, pouco ou nada. 

Ora, jogos certamente precisam de profissionais para desenvolver seus elementos visuais, programar suas mecânicas, balancear seus conteúdos, mas suas narrativas também precisam sair de algum lugar. Fiz um pequeno experimento: comentar sobre a escassez de trabalho nesta área no campo de comentários de um perfil de anúncio de vagas para desenvolvedores de jogos. Para minha surpresa, recebi um feedback dizendo que Narrative Designers não eram necessários pois “criar a história do jogo é uma das partes mais divertidas do processo e o criador principal do jogo geralmente acaba focando nisso e no game design. O que sobra é o que menos pessoas querem fazer, o que dá mais trabalho, que é mais técnico.”

Como se o trabalho desenvolvido pelo profissional de narrativas não fosse técnico. Em meu trabalho cotidiano, eu não simplesmente escrevo uma narrativa a meu bel prazer. Primeiramente busco identificar qual é a necessidade narrativa a ser desenvolvida e seu objetivo: conceder acesso a uma área nova? Entregar um item específico ao jogador? Propor uma experiência divertida na qual a contação da história e a emoção despertada no jogador é o fim em si? Para qual faixa de level/público-alvo?

Após tudo isso determinado, é necessário além de escrever a narrativa em si, informar no documento em qual ponto do mapa determinados eventos ocorrem, ao interagir de que forma com qual item ou personagem e quais as possibilidades de escolha o jogador possuirá daí em diante.

Certamente qualquer um é capaz de criar uma história. Entretanto, criar uma que seja envolvente, de qualidade, atingindo um propósito específico do game design, não é qualquer um capaz de criar. Também é necessário apontar que o trabalho do Narrative Designer não é tão somente escrever uma história, mas também organizar e documentar as narrativas pertinentes ao jogo em desenvolvimento, seus personagens, descrições, entre outros. Lembrando que narrativa não é somente diálogo ou texto em tela. Ela também pode ser contada através de conceitos, imagens ou de uma sequência de eventos propostos na tela(com ou sem a interação do jogador, de acordo com a proposta de cada game).

Então se você é um desenvolvedor de jogos e chegou até aqui, considere agregar um Narrative Designer ao seu time, se você deseja que seus jogos sejam completos em toda sua multitude de camadas de experiência estética.



Esse texto é colaborativo, escrito por André Cappelasso, roteirista na empresa Streamysoft, Bacharel em Artes Visuais e Técnico em biblioteconomia.

Outros trabalhos: World builder e narrative designer do MMORPG Bloodstone Online; colaborou com o desenvolvimento do plot, criação de personagens e roteiro das cutscenes do game Beat´em up “Reality Rash” da desenvolvedora “Give your Jumps”.

Redes sociais: Linkedin

Mais sobre games, aqui. ✿